A falta de tempo para jogar que nos afasta dos games

Um dos maiores e mais importantes fatores que afastam antigos gamers todos os anos dos jogos com certeza é a falta de tempo. Pessoas que passaram suas infâncias inteiras jogando, hoje em dia abandonaram os games, graças à uma vida que nops exige às vezes mais do que 7 dias por semana e 24 horas por dia.

1
A falta de tempo para jogar leva seu console de volta à caixa

Review: GTA V

Obrigações e prioridades

A vida adulta exige um planejamento, colocando como pilares o trabalho e a família. Todos precisamos de dinheiro, e como a maioria da população não nasce “aposentada”, trabalhar é preciso. A questão da família é importante, pois mesmo para quem não namora e não quer formar uma família, sempre terá que reservar tempo para os pais, irmãos, mesmo que em menor número.

Com as raras exceções de quem não precisa trabalhar ou que trabalha com games, o começo da vida adulta é uma verdadeira loucura, pois toda a energia possível precisa ser canalizada na profissão e especialização, afinal juntar dinheiro e comprar uma casa/carro são prioridades.

Alguns até resolvem levar uma vida em que exista apenas o trabalho, seja de 6 ou 8 horas e guardar todo o resto para os games… não acreditamos que seja nem de longe uma opção saudável e não é aconselhada. Atividades físicas e lazer com amigos, família significa qualidade de vida.

Os jogos casuais versus games hardcore

Muitos jogadores acabam escolhendo não abandonar os games, comprando os últimos consoles e jogos. O que muda neste momento é a quantidade e a escolha dos jogos. Enquanto na adolescência colecionava-se centenas de jogos, aqui 10 ou 15 fazem a alegria. Quanto a escolha, notasse que os games casuais passam a ser a prioridade, pois oferecem jogatina descompromissada com um final específico, servindo apenas para aliviar o estresse.

2
Organização é a melhor solução para a falta de tempo para jogar

Para quem gosta, os games de esporte são aqui a principal opção. Outros games como os da série GTA também cumprem o papel, pois fora das missões a liberdade proporcionada, onde é possível fazer tudo sem se preocupar com nada, agrada e atrai o público com falta de tempo para jogar.

Aqui games com histórias longas, como os de RPG, perdem grande parte de seu espaço infelizmente.

Como os produtores pensam nisso

O criador da that game company e responsável por games como Journey, Jenova Chen, comentou há poucos dias sobre o assunto, afirmando o seguinte:

“Crescemos com os games. Eles são um tipo de mídia muito importante, mas amigos pararam de jogar quando cresceram. Nos dizem que o que falta é tempo para jogar. Dez anos atrás quando eu vim aos Estados Unidos esperava criar games para reconquistar esse tipo de público”.

Para Chen a indústria de games segue à cada dia o mesmo caminho das produções para o cinema, pois seria essa uma fórmula que já deu e ainda dá certo, levando os games ao público adulto de uma vez por todas. Fazer com que os pais dessa geração tenham vontade e saibam reservar o tempo para jogar games com seus filhos é uma inspiração e objetivo para seu estúdio.

3

Existe uma fórmula secreta para arranjar tempo?

Na verdade não há, e nem acreditamos que os próprios games consigam mudar essa máxima. Fazer jogos curtos pode até passar a atrair público para eles, mas será um nicho restrito: os jogadores de games curtos. Não poderia isso afetar a realidade do mundo, onde se trabalha mais do que deveria para ganhar menos do que o necessário.

A dica maior vai então para a ORGANIZAÇÃO. Sem essa palavra mágica é impossível fazer qualquer coisa na vida, se divertir, trabalhar, estudar namorar e principalmente prosperar.

Definir as prioridades, o tempo necessário para fazer cada uma das atividades diárias e descobrir quanto tempo seu organismo precisa dormir para não adoecer, é a melhor forma de conseguir fazer tudo, ou quase tudo, que você gosta, sem precisar deixar os games de lado e nem arranjar desculpas para fazer algo realmente importante para você.

Se esse conteúdo foi útil para você pedimos que curta nossa fan page no facebook para posts e notícias diárias sobre games do passado, presente e futuro.

  • fabio

    pura verdade, jogar é legal, mas o tempo é curto para todas as atividades, então ficam as saudades da adolescência, época em que jogar era a prioridade..rsrs

  • Anderson M.

    Que saudade da infância e adolescência, quando ficava por horas e horas sem me preocupar com qualquer coisa, e ainda sobrava tempo pra fazer outras coisas e a saúde parecia infinita. kkkk fazer o quê.. temos q nos adaptar.. mas largar os games, jamais..

  • Onfocus Man

    Na minha infância e adolescêcia eu era feliz e não sabia usahuashuas.

  • Éramos todos kkkkk

  • Marcelo Munhoz da Rocha

    Éramos todos! kkkkk.

  • Marcelo Munhoz da Rocha

    Jogar era primeiro plano e estudar segundo.

  • Pedro Vitor Kamma

    É de fato agoniante, ver tantos jogos saindo e ter tão pouco tempo para jogar. Quando era pequeno tinha tempo de sobra mas sendo da classe média baixa, me faltava verba para os games. Agora na vida adulta temos de trabalhar. Confesso que, após tanto stress e frustração no trabalho eu estou menos preocupado com a vida laboral e me dedicando mais aos games, e sabe de uma coisa? Desde que tomei essa decisão meu stress no dia a dia diminuiu bastante. Chutei o balde, vou para o trabalho e cumpro meu horário, faço o que tenho que fazer, mas quando chego em casa não quero nem saber de falar de trabalho. Mesmo com o trabalho do dia já terminado ele ainda pesa, pois preciso acordar cedo no outro dia, de modo que não dá pra virar a noite jogando, como muitas vezes eu gostaria de fazer. Faço as obrigações de casa da maneira mais eficiente possível e já vou pro game. Comprei ultimamente um Ps one, um Ps 2 e um Wii (sim, todos de uma vez praticamente), além de um Xbox One que já tinha….. Pelo visto, tempo para jogar é o que não pode me faltar.